Dias de Fórmula 1 | Bottas vence na Austrália

Daniel Dias

www.diasaovolante.com

Contestado por muitos, o finlandês Valtteri Bottas brilhou no GP da Austrália, primeira prova da temporada 2019 da Fórmula-1, disputa do último domingo. Poucas vezes se viu uma atuação tão perfeita de um segundo piloto de uma equipe, no caso, da Mercedes. A atuação de Bottas foi tão magnífica que ele ganhou a votação do público como melhor piloto da prova e ainda levou para casa a melhor volta da corrida, conseguida há duas passagens da bandeirada final, além de não deixar espaço para uma decisão da equipe em dar a primeira posição para o companheiro, pois acelerou o ritmo sempre.

Pole position da primeira etapa do ano, o pentacampeão Lewis Hamilton aplaudiu o companheiro e admitiu no final que precisa treinar mais as largadas. O holandês Max Verstappen, da Red Bull, também foi muito bem e fechou a terceira posição do pódio, deixando as Ferrari – a grande decepção da corrida no circuito de Albert Park – em quarto, com o alemão Sebastian Vettel, e em quinto, com o monegasco Charles Leclerc.

A corrida de estreia do ano da F-1colocou em xeque a pré-temporada, especialmente quanto ao rendimento do SF90, o carro da Ferrari. A escuderia vermelha brilhou nos treinos de Barcelona, escondeu o jogo na segunda semana e parece ter esquecido de onde guardou os segredos para combater a pentacampeã Mercedes. Já em Melbourne, Vettel e Leclerc estiveram sempre longe dos carros prateados. Na prova, os dois parecem ter engatado a marcha a ré e sumiram dos retrovisores de Bottas, principalmente, de Hamilton e até de Verstappen. Com isso, a Ferrari terá duas semanas infernais para reencontrar o bom caminho. A segunda etapa da temporada está prevista para o dia 31 de março, no Bahrein.

Finlandês conquista o primeiro GP da temporada 2019, seguido por Lewis Hamilton e Max Verstappen

A Austrália mostrou ainda o ocaso da Williams e do polonês Robert Kubica. Chega a ser um exercício de ficção imaginar que a equipe do velho Frank já foi uma das melhores do grid e tenha produzido o considerado melhor carro da história da F-1, o FW14B de 1992, do inglês Nigel Mansell e projetado pelo mago inglês Adrian Newey, atualmente na Red Bull. O caso de Kubica é pior. A constatação a seguir é dura e difícil de se expressar em palavras: o polonês é um ex-piloto. A imagem do braço direito de Kubica mostrada na reportagem feita por Mariana Becker, da Globo, na semana do GP da Austrália é assustadora. Infelizmente, o Kubica não tem condições de resistir a uma hora e meia de uma corrida de F-1. Ele pode no máximo fazer algumas voltas em uma sessão de treinos e contribuir para o desenvolvimento do carro. Encarar uma prova inteira, nem pensar! O polonês foi o último a cruzar a linha de chegada no Albert Park, com três voltas de atraso em relação ao vencedor.

Resultado final do GP da Austrália:
1) V. Bottas – Mercedes – 1h25min27s325
2) L. Hamilton – Mercedes – a 20s886
3) M. Verstappen – Red Bull – a 22s520
4) S. Vettel – Ferrari – a 57s109
5) C. Leclerc – Ferrari – a 58s230
6) K. Magnussen – Haas – a 1min27s156
7) N. Hulkenberg – Renault – a uma volta
8) K. Raikkonen – Alfa Romeo – a uma volta
9) L. Stroll – Racing Point – a uma volta
10) D. Kvyat – Toro Rosso – a uma volta
11) P. Gasly – Red Bull – a uma volta
12) L. Norris – McLaren – a uma volta
13) S. Perez – Racing Point – a uma volta
14) A. Albon – Toro Rosso – a uma volta
15) A. Giovinazzi – Alfa Romeo – a uma volta
16) G. Russell – Williams – a duas voltas
17) R. Kubica – Williams – a três voltas
18) R. Grosjean – Haas – não completou
19) D. Ricciardo – Renault – não completou
20) C. Sainz Jr – McLaren – não completou
Melhor volta – V. Bottas – Mercedes – 1min25s580

Piloto destaque da corrida escolhido pelo internautas na cobertura televisiva da prova – V. Bottas – Mercedes

Deixe uma resposta