Dias de Fórmula 1 | Hamilton fecha o ano do penta com vitória em Abu Dhabi

Daniel Dias

Já pentacampeão mundial, desde o GP do México, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, encerrou a temporada de forma perfeita, vencendo o GP de Abu Dhabi. Partindo da pole position, o inglês parou cedo para trocar os pneus, e recuperou a liderança depois que o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, entrou para o pit stop. O alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, terminou em segundo, seguido pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull.

Na corrida de muitas despedidas, o espanhol Fernando Alonso, da McLaren, completou sua trajetória na Fórmula-1 em décimo primeiro, o finlandês Kimi Raikkonen, em sua última prova pela Ferrari, saiu bem cedo com problemas mecânicos – o finlandês trocará de lugar em 2019 com o monegasco Charles Leclerc, que se despediu da Sauber, – e o francês Esteban Ocon, da Force India, deixa também a categoria por não ter lugar em nenhuma outra equipe. O piloto francês abandonou no circuito de Yas Marina com problemas mecânicos.

A última etapa da temporada foi marcada na primeira volta com uma capotagem espetacular de Nico Hulkenberg, da Renault, sem consequências físicas para o alemão. Disputando posição com o francês Romain Grosjean, da Haas, Hulkenberg foi catapultado quando os dois carros se chocaram nas rodas. Felizmente, funcionaram todos os dispositivos de segurança no carro do alemão.

A próxima temporada terá 21 etapas, com mudanças significativas no grid. A pentacampeã Mercedes repete a dupla com Hamilton e Bottas, na Ferrari, Vettel terá a companhia de Leclerc, a Red Bull manteve Verstappen e promoveu o francês Pierre Gasly da Toro Rosso, a Renault contratou Ricciardo e continuará com Hulkenberg, a McLaren terá dupla nova, com o espanhol Carlos Sainz Jr., que correu as últimas etapas de 2018 já na equipe, e o inglês Lando Norris, a Haas manteve Grosjean e o dinamarquês Kevin Magnussen, a Racing Point (ex-Force India) continuará com o mexicano Sergio Perez e chamou o canadense Lance Stroll, a Toro Rosso terá dupla nova, com o russo Daniil Kvyat – renascido das cinzas – e o tailandês Alexander Albon, a Williams terá o inglês George Russell e o polonês Robert Kubica e a Sauber “repatriou” Raikkonen e contratou o italiano Antonio Giovinazzi. O Brasil voltará a ter representantes, com Pietro Fittipaldi e Sérgio Sette Câmara como pilotos reservas da Haas e da McLaren, respectivamente.

Deixe uma resposta