Mundo Premium | Um dia, quem sabe…

Existem mil maneiras de preparar aquele cereal e outras tantas para não estar em um lançamento automotivo. Só neste ano houve três maiores que me impediram de estar em eventos de vasta importância: falta de convite da marca (pois é…), recusa da empresa a qual eu representava (pois ééééé…) e menor representatividade do meu veículo. Todas elas machucam, ainda que de maneiras diferentes.

A última ausência foi o lançamento do Eclipse Cross. E eu entendo perfeitamente a Mitsubishi. O Auto Aventura está em busca dos graus de relevância que o levarão aos maiores lançamentos, mas falta um caminho a ser percorrido. Quando o evento envolve avião, transfer, hotel, alimentação, test drive e outros etecetaras, as marcas têm uma limitação no número de convidados e se vê obrigada a fazer escolhas. Mas não estar lá não deixa de doer. Segue a vida, segue o jogo.

E segue o jogo com o Eclipse Cross, que cabe perfeitamente em um mundo premium, até porque não cabe em muitos e muitos bolsos. Parte de R$ 149.990 (leia-se R$ 150 mil) e tem vários atributos que o fazem subir vários degraus. Conta com HPE-S AWD, que tem tração nas quatro rodas.  Traz um 1.5 Turbo de 165 cv e 25,5 kgfm, acoplado em uma caixa CVT com mudanças manuais no volante e alavanca. Com esse pacote mecânico, o novo modelo quer peitar SUVs do segmento premium, como BMW X1, Mercedes GLA e Audi Q3.

Ele vem ainda com faróis full LED, lanternas traseiras em LED integradas, que criam um aerofólio sobre o vidro traseiro. O crossover tem ainda muitos cromados e rodas diamantadas aro 18 polegadas.

Crossover…sim, essa é a carroceria do Eclipse Cross. Completamente diferente do esportivinho que a boleirada do início dos anos 90 tinha. Jogador de futebol tinha Tempra, Eclipse ou as primeiras das primeiras Cherokee.

Se algum boleiro da atualidade quiser, o Ecipse Cross traz volante esportivo com paddle shifts, multimídia com Android Auto e Car Play, teto solar duplo, ar-condicionado dual zone, sensor de chuva e crepuscular, retrovisor eletrocrômico, câmera de ré, piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência, leitor de faixa e alerta de tráfego traseiro. Ah, controles de tração e estabilidade também.

Nós ainda vamos acelerá-lo. Quando isso acontecer conto tudo aqui.

Leia mais

Mais por menos Dias atrás acelerei o Mitsubishi ASX 2018. Atividade comum a qualquer jornalista automotivo, pegar um carro da Mitsubishi ou da Kia Motors não é tarefa das mais simples. As duas marcas não dispõem de frota para a Imprensa. Então você busca outros caminhos para conseguir andar em modelos para os quai...
Mundo Premium | Chinês elétrico e aceso Chiques, finos, elegantes, politicamente e ecologicamente corretos. As marcas premium têm passado as últimas semanas dedicando-se aos híbridos e elétricos. A última foi a Audi, que na terça-feira apresentou o e-tron, o primeiro modelo de quatro argolas que pode ser conectado à tomada. Mas como esse ...
Mundo Premium | Pena que não vem Linha A, linha Q. Quando você coloca uma dessas letras antes de algum número, é sabido que vem um bom produto da Audi. Com muita sofisticação e, em alguns casos, doses maiores de esportividade que, claro, sequer ousam se aproximar das letras RS. Com essas duas não há como competir, sobretudo na acel...
Mundo Premium | Entrou no sistema Uma marca que, só por ser citada, remete aos modelos de extremo luxo: Rolls-Royce. Fineza e história, pois, ao citar o nome da fabricante vêm a mente produtos com idade um tanto quanto avançada. É nesse ponto que a Rolls-Royce quer bater a partir de agora. Tanto que a marca anunciou a chegada do Cul...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *