Dias de Fórmula 1 | Hamilton vence guerra psicológica em Monza

Daniel Dias

Daniel Dias

www.diasaovolante.com

O inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, ganhou bem mais que o topo do pódio no GP da Itália de Fórmula-1. O tetracampeão venceu uma importante batalha psicológica contra o alemão Sebastian Vettel, na corrida e na casa da Ferrari. Tudo começou na primeira volta, com as duas Ferrari largando na primeira fila em Monza, com o finlandês Kimi Raikkonen na pole position. Vettel tentou superar o companheiro na chicane da primeira curva. Com isso, Hamilton saiu mais forte no Curvão e partiu para a ultrapassagem por fora na tomada da segunda chicane. Na briga mental entre os dois, Vettel não fugiu da luta e o bico da Ferrari bateu na lateral da Mercedes de número 44. O tetracampeão alemão levou a pior, rodou no asfalto e teve de ir para os boxes para trocar o bico danificado. O choque dos dois rivais não teve culpados. No máximo, Vettel poderia ter aceitado a ultrapassagem pois tinha carro para buscar Hamilton em seguida. No entanto, em uma guerra psicológica tão intensa entre os dois, “aceitar” uma ultrapassagem pode significar um atestado de derrota. Com a vitória de Hamilton e a quarta posição de Vettel no final, o inglês abriu a diferença no campeonato para 30 pontos.

Hamilton leva a melhor na casa da Ferrari ao vencer GP da Itália. Foto: Mercedes/Twitter

A décima quarta etapa do Mundial (de 21 provas) teria outros lances emocionantes, o principal na disputa pela primeira posição entre Raikkonen e Hamilton já no quarto final da prova, com o piloto da Ferrari enfrentando problemas de desgaste de pneus. Entretanto, no instante decisivo, Raikkonen ainda tinha condições de brigar pela ponta. Aí então veio o golpe de mestre de Hamilton, que desceu o retão principal de Monza colado à Ferrari. Para se defender, Raikkonen fechou a parte de dentro da tomada da chicane e Hamilton o driblou magnificamente por fora, fazendo a chicane lado a lado com o finlandês mas tendo a preferência na segunda parte da primeira variante de Monza. Ali, a vitória estava definida e, muito provavelmente, a conquista do pentacampeonato pelo piloto inglês, pois ele estava revertendo naquele momento uma corrida toda favorável à Ferrari e na casa da inimiga.

A despedida da F-1 da Europa – embora ainda tenha o GP da Rússia depois de Cingapura, a próxima etapa – trouxe uma imensa vantagem psicológica e material para Hamilton. Em condições normais, dificilmente Vettel terá chances de diminuir a enorme diferença que o separa do inglês. O alemão da Ferrari terá necessariamente de contar com pelo menos um infortúnio do rival daqui para a frente. Apesar de ter o melhor carro na atualidade, Vettel sabe que Hamilton é capaz de equilibrar a disputa se utilizando pura e simplesmente de seu talento. A grande conquista de Hamilton no último domingo veio assim, da capacidade do piloto inglês em reverter panoramas adversos “correndo mais que o carro”. Nessa batalha psicológica, Hamilton levou a melhor em Monza e carrega para as sete provas restantes uma espécie de poupança. O lugar ao lado do argentino Juan Manuel Fangio na galeria de pilotos com cinco títulos já começa a se materializar para Hamilton. E o inglês merece!

Deixe uma resposta