Dias de Fórmula 1 | Vettel ganha diante dos ingleses

Daniel Dias

Daniel Dias

www.diasaovolante.com

Mais uma vez, como ocorreu nas duas etapas anteriores – França e Áustria -, incidentes na largada envolvendo as equipes protagonistas acabaram transformando o GP da Inglaterra, em Silverstone, em uma corrida espetacular, vencida pelo alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, que ampliou a vantagem na liderança para 8 pontos sobre o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, segundo colocado na décima etapa do Mundial de Fórmula-1. No entanto, a prova poderia ter sido ainda mais emocionante se Hamilton, o pole position, e Vettel tivessem disputado a vitória livremente durante toda a corrida, como todos esperavam.

Na prova real, Vettel partiu como um foguete e assumiu a ponta na largada, trazendo o finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, em segundo. Hamilton ficou para trás e foi atingido pelo finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, na terceira curva. Raikkonen foi considerado culpado pelos comissários de pista e tomou uma punição de 10 segundos, cumprida parado no box sem que os mecânicos pudessem tocar no carro durante o seu primeiro pit stop. Hamilton caiu para último e passou a fazer uma corrida de recuperação admirável.

Com o pneu mais rápido para Silverstone sendo o macio (o de cor amarela), os pilotos pararam em torno da volta 20 e colocaram os médios (brancos). A Pirelli estreou nesta prova os compostos duros (azuis), não utilizados pelas equipes grandes. As coisas começaram a mudar decisivamente na corrida com uma batida muito feia do sueco Marcus Ericsson na curva 1. A asa traseira permaneceu aberta na Sauber e o piloto não conseguiu controlar o carro, que bateu forte na proteção de pneus, felizmente sem consequências físicas para Ericsson, companheiro da sensação do momento, o monegasco Charles Leclerc. A prova também não foi feliz para o possível substituto de Raikkonen no próximo ano. Antes da batida de Ericcson, Leclerc fez seu pit stop e teve de desistir logo após sair dos boxes, com o pneu traseiro esquerdo mal colocado pela equipe.

Foi no momento do acidente de Ericsson que a Mercedes errou. A Ferrari e a Red Bull chamaram seus pilotos para recolocarem os pneus macios, aproveitando a entrada do safety car. As Mercedes permaneceram na pista com pneus médios e já desgastados. A corrida recomeçou com Vettel partindo para cima do líder Bottas, mas foi interrompida novamente devido a mais uma estupidez de Romain Grosjean, da Haas. O piloto francês jogou o carro sobre o de Carlos Sainz Jr., da Renault, na curva 1, com os dois indo parar na barreira de pneus. Novo safety car na pista.

Após a saída do carro de segurança, Vettel, naturalmente, foi em perseguição à primeira posição. O tetracampeão estudou a situação por cinco voltas seguidas e deu o bote decisivo quando Bottas não esperava, assumindo o primeiro lugar, que levaria até a bandeirada. Hamilton também passou Bottas, com alguma resistência (inexplicável) de seu companheiro, e se colou em segundo.

Raikkonen lutou contra Bottas e ultrapassou o conterrâneo na curva Stowe sem o recurso da asa aberta, na melhor manobra da corrida. Pronto, o pódio estava definido, com Vettel, Hamilton e Raikkonen, seguidos de Bottas e do australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull. Vencedor da etapa anterior, na Áustria, o holandês Max Verstappen brigou com o companheiro Ricciardo pela quinta colocação no final, mas o holandês saiu da pista e teve quebra logo depois, abandonando a prova.

O erro da Mercedes ao não trocar os pneus acabou ajudando Hamilton. Entretanto, isso só foi possível porque o tetracampeão inglês sabe se virar nas condições mais adversas, a exemplo de Vettel, os dois pilotos diferenciados dos demais e que, não por acaso, estão disputando ponto a ponto para ver quem chega ao quinto título na F-1 em primeiro.

O Mundial está totalmente aberto entre Vettel e Hamilton. Nenhum dos dois tem uma vantagem clara, pois os carros da Ferrari e da Mercedes estão em igualdade de condições. Como Hamilton foi o anfitrião em Silverstone, a próxima corrida é na casa do rival, daqui a duas semanas, em Hockenheim, na Alemanha, e o inglês terá sua chance de se vingar da derrota sofrida diante de seus fãs.

Com a conquista em Silverstone, Vettel se igualou ao francês Alain Prost no número de vitórias na F-1, com 51, e agora está atrás apenas do heptacampeão Michael Schumacher (91 vitórias) e de Hamilton (65).

Leia mais

Dias de Fórmula 1 | A importância do palhaço no ci... Simbolizado pela falta de imprevisibilidade, as duas últimas provas assustam o circo pela chatice Por Daniel Dias (www.diasaovolante.com) De todas as atrações de um circo, com coreografias e malabarismos todos perfeitos, o que faz a diferença é o palhaço. Nas duas últimas provas da Fórmula-1 – M...
Em final eletrizante, Vettel vence GP da Inglaterr... Numa prova sensacional no circuito de Silverstone, alemão da Ferrari ganha e quebra sequência de cinco triunfos seguidos da Mercedes na corrida inglesa. De quebra, ele amplia vantagem na liderança Leticia Senna Uma corrida com um final espetacular como há algum tempo a Fórmula 1 não via. O GP da I...
Em Silverstone, Hamilton crava 67ª pole da carreir... Piloto britânico não cansa de fazer história na Fórmula 1 e crava sua 67ª pole position da carreira, uma atrás de Michael Schumacher, o recordista Correndo "em casa", Lewis Hamilton marcou sua 67ª pole position neste sábado (15) no treino classificatório para o GP da Inglaterra da Fórmula 1. O pi...
Hamilton bate Vettel por 0s044 e faz a pole positi... Por menos de meio milésimo de segundo, Lewis Hamilton supera Sebastian Vettel no apagar das luzes do treino classificatório em Silverstone. É a 76ª pole na carreira e a 50ª do britânico na equipe Mercedes Além da vitória sobre a Suécia e a passagem da Inglaterra para as semifinais da Copa do Mund...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *