Dias de Fórmula 1 | Verstappen vence na casa da Red Bull

Daniel Dias

Daniel Dias

www.diasaovolante.com

Na prova que era para ser toda da Mercedes, a equipe alemã ficou pelo caminho no GP da Áustria, em Zeltweg, circuito da Red Bull, a vencedora da nona etapa do Mundial de Fórmula 1 com o holandês Max Verstappen, seguido pelo finlandês Kimi Raikkonen e o alemão Sebastian Vettel, ambos da Ferrari. Com isso, o tetracampeão da escuderia italiana reassumiu a liderança do campeonato com um ponto de vantagem sobre o inglês Lewis Hamilton. O martírio da Mercedes começou com o finlandês Valtteri Bottas, o pole position em Spielberg, com o câmbio trancado na segunda marcha, ainda na primeira parte da prova. A péssima escolha do lugar para parar o carro feita por Bottas provocou o safety car virtual, que mudaria toda a corrida. O líder Hamilton (assumiu a ponta da corrida na primeira curva, na largada), por erro da equipe, não foi chamado para a troca de pneus, enquanto as Red Bull e as Ferrari pararam no mesmo momento com suas duplas de pilotos.

A Mercedes logo percebeu o erro e pediu desculpas para Hamilton. Quando o inglês foi para o pit stop, Verstappen tomou o primeiro lugar. Hamilton voltou à frente de Vettel, mas na alça de mira do alemão. O piloto da Ferrari partiu para cima do rival e fez a ultrapassagem, aliviando seu prejuízo por ter largado na sexta posição, depois de ter levado uma punição no sábado por atrapalhar a vida do espanhol Carlos Sainz Jr., da Renault, no treino de classificação. Hamilton passou a ter problemas de desgaste dos pneus, além de reclamar de perda de potência do motor. As Red Bull também viviam às voltas com problemas nos pneus. O australiano Daniel Ricciardo trocou os compostos, no entanto teve quebra do motor logo depois.

Hamilton parou para trocar os pneus de novo, ficando muito distante do trio da frente – Verstappen, Raikkonen e Vettel. Logo após, o trágico dia para a Mercedes se completaria, com o tetracampeão inglês enfrentando possíveis problemas no motor, já que a equipe pediu para ele desligar a máquina em seguida, para poupá-la. Muito consciente, Hamilton, ao contrário de Bottas, procurou o melhor lugar fora da pista para deixar seu carro e não atrapalhar a prova.

Nas voltas finais, Raikkonen começou a descontar a diferença para Verstappen. Porém, não deu tempo para a primeira vitória do finlandês depois de sua última conquista, em 2013, quando corria pela extinta equipe Lotus. Para delírio da imensa torcida laranja da Holanda presente ao circuito, Verstappen cruzou a linha de chegada com 1,5 segundo à frente de Raikkonen. Na entrevista para o australiano Mark Webber, ex-companheiro de Vettel na Red Bull, os três primeiros estavam contentes. Apenas Raikkonen lamentou ter saído da pista na largada quando tentou ultrapassar as Mercedes.

Após a melhor corrida da temporada até o momento – na qual somente os três primeiros terminaram na mesma volta -, a F-1 se reúne já no próximo domingo para o GP da Inglaterra, em Silverstone, pista teoricamente favorável, novamente, à Mercedes. Será uma nova oportunidade para Hamilton tentar recuperar a liderança do campeonato.

O GP da Áustria mostrou que o imprevisto – um ingrediente sempre presente no automobilismo – pode mudar um panorama pré-estabelecido de grande vantagem de uma equipe sobre as demais, como era o caso da Mercedes em Zeltweg. A escuderia alemã deve agora reconhecer seus erros cometidos em Spielberg e tratar de se recuperar logo. Potencial é o que não falta para a Flecha de Prata.

Deixe uma resposta