Autos Giros com o Honda HR-V Touring

Versão topo de linha do SUV da marca japonesa traz faróis dianteiros e lanternas traseiras com guias em LED, acabamentos cromados nas portas e sensores de chuva entre seus itens exclusivos

Em uma recente viagem a São Paulo para um evento de uma marca de caminhões, o Autos Giros teve a oportunidade de testar, a convite da Honda do Brasil, o HR-V Touring. Lançado em março de 2015, ele foi o modelo mais vendido do segmento por dois anos (2016 e 2017) e ganhou a nova configuração topo de linha no ano passado, com alguns acréscimos em relação à EXL.

No visual, os principais diferenciais da versão Touring são os faróis em LED, com luzes diurnas de rodagem (DRL), além das lanternas traseiras com guias de LED. Interiormente, a principal mudança são os acabamentos cromados nas portas. Ademais, o bicampeão de vendas (e vice-campeão em 2017) ganhou também sensores de chuva e de estacionamento traseiro, retrovisor interno fotocromático e airbags laterais do tipo cortina, totalizando seis.

Como cabe a um Honda e a um dos líderes do segmento mais competitivo e que mais cresce no Brasil, o HR-V exibe alta qualidade tanto em termos de design, conforto, acabamento e motorização.  O motor, aliás, é o 1.8 i-VTEC SOHC Flex de 140 cv a 6.500 rpm e torque de 17,44 kgfm a 4.800 rpm. Ele é acompanhado por uma transmissão CVT com sete marchas virtuais e opção de troca nos paddle shifts atrás do volante.

Maçanetas escondidas e bom espaço interno

Uma das razões que mantém o SUV da Honda entre os líderes do seu segmento desde o lançamento é o seu design característico. Ao mesmo tempo esportivo, elegante e sofisticado, ele desfila os longos 4.295 mm de comprimento e 1.770 mm de largura com grande suavidade e robustez. Da mesma forma, a baixa altura (apenas 1.586 mm) lhe confere agilidade e os 2.610 mm de entre-eixos garantem amplo espaço interno. E ele conta com detalhes como as maçanetas “escondidas” nas portas traseiras e rodas  aro 17.

Falando no interior, ele conta com o sistema ULT (Utility Long Tall – Utilitário Longo Alto) de arranjo dos assentos, que lhe possibilita flexibilidade total na configuração de bancos. Com isso o espaço interno é bom na dianteira, mas ainda melhor na traseira. O porta-malas, sem rebatimento dos bancos, é de 437 litros, um dos maiores do segmento.

A versão Touring traz bancos, console e detalhes das portas em couro, maçanetas internas cromadas e o console central fica em uma posição mais elevada, facilitando o acesso e a legibilidade. Ela conta também com encosto de cabeça para cinco ocupantes, e sistema ISOFIX para colocação de cadeirinhas infantis.

SUV nacional com Brake Hold

O banco do motorista conta com ajustes elétricos. Além disso, o SUV da marca japonesa conta com itens como partida do motor sem chave, direção elétrica e teto solar. O ar-condicionado é digital e touchscreen, assim como o sistema multimídia com tela de sete polegadas que traz navegador integrado, conexão bluetooth, pareamento de telefone e câmera de ré.

Em relação a tecnologia, o Honda HR-V foi o primeiro modelo produzido no Brasil com freio de estacionamento eletrônico (EPB) e sistema Brake Hold de série. E ele traz controle de tração e estabilidade VSA (Vehicle Stability Assist). assistente de partida em rampa HSA (Hill Start Assist) e o sistema de direção MA-EPS (Motion Adaptive Electric Power Steering) da marca japonesa.

Ele conta ainda com o sistema “tilt down”, que traz uma câmera no retrovisor direito que abaixa quando o motorista liga a seta para dobrar ou estacionar.

Teste urbano de longas durações

Por ter sido em um período curto (apenas quatro dias) e com agenda cheia em São Paulo, esta avaliação teve algumas características diferentes do habitual. Em primeiro lugar, foi uma avaliação 100% urbana, sem pegar a estrada. Por outro lado, houve momentos de trânsito intenso por longos períodos.

Principalmente para quem não está acostumado, dirigir um automóvel por duas horas e meia em um trânsito carregado e um percurso que deveria levar 25 minutos (pode parecer exagero, mas os números são estes) não é a coisa mais agradável do mundo. Contudo, com o Honda HR-V Touring foi bem menos “traumático” do que o esperado.

É claro que, estando em São Paulo, sabia-se que algo assim poderia acontecer. Entretanto, ao chegar ao destino foi interessante perceber que a fadiga física e mental era bastante baixa. Além de distrações com o sistema multimídia (principalmente para ouvir rádios, músicas no Spotify e aplicativos de notícias via pareamento no celular), o conforto do banco também foi, acredito, determinante.

O consumo médio ficou em 9,1 km/l abastecido com gasolina. Considerando os longos períodos de arranca-e-para no trânsito da capital paulista, é um valor satisfatório.

Os diferenciais da versão Touring

A diferença entre as versões EXL e Touring do Honda HR-V fica em R$ 5.000. Enquanto um tem preço sugerido de R$ 103.900, o novo topo de linha parte de R$ 108.900. A contrapartida chega com faróis em LED, com luzes diurnas de rodagem (DRL), lanternas traseiras com guias de LED, acabamentos cromados nas portas, sensores de chuva e de estacionamento traseiro, retrovisor interno fotocromático e airbags laterais do tipo cortina.

Não há o que discutir quanto à qualidade do carro nem ao bom custo-benefício de um Honda, mas saber se os “detalhes” a mais valem ou não a diferença no valor para se ter um “Touring”, é uma decisão de cada um. Vale lembrar, porém, que por ser um dos modelos mais vendidos do país desde o seu lançamento, o HR-V tem uma vantagem importante, que é a baixa desvalorização em relação à média do mercado, além da garantia dos três anos sem limite de quilometragem.
O certo é que o HR-V Touring é um legítimo SUV Honda, com toda a categoria que se espera de um utilitário esportivo da marca japonesa.


Ficha técnica Honda HR-V Touring 2018


Motor (combustível): 1.8 16 válvulas

Potência: 139 cv @ 6.300 rpm (etanol)
140 cv @ 6.300 rpm (gasolina)

Torque: 17,4 kgfm @ 5.000 rpm (etanol)
17,3 kgfm @ 5.000 rpm (etanol)

Tração: Dianteira

Transmissão: CVT com sete velocidades virtuais

Dimensões: Comprimento (mm): 42094
Largura (mm): 1.772
Altura (mm): 1.586
Altura livre do solo (mm): 177
Entre-eixos (mm): 2.610

Direção: Assistência Elétrica

Suspensão: Dianteira: Independente, tipo McPherson
Traseira: Eixo de torção

Freios: Dianteiros: Discos ventilados com ABS e EBD
Traseiros: Disco sólido com ABS e EBD

Pneus: 215 / 55 R17

Rodas: Roda de liga leve de 17 polegadas

Velocidade máxima (km/h): 175 0 a 100 km/h (segundos): 11,2

Porta-malas (litros): 437 Tanque (litros): 51

Preços: A partir de R$ 108.900

Leia mais

Autos Giros com o Honda WR-V 2018 Chamado de SUV compacto pela marca japonesa, novo Honda WR-V aposta em versatilidade e condução dinâmica para conquistar consumidores Daniel Jacques Lançado no início do ano, o Honda WR-V é o primeiro projeto brasileiro da marca a se tornar global. Ele chegou para preencher uma lacuna entre o comp...
Autos Giros com o Honda CR-V 2019 Daniel Jacques A Honda trouxe duas grandes novidades ao mercado brasileiro em 2018. Na verdade, uma nova geração de um velho conhecido e o retorno de outro que já esteve por aí outras vezes. Em abril chegou a quinta geração do CR-V. O SUV, que chegou por aqui no ano 2000, foi totalmente renovado. ...
Autos Giros com o Honda City 2018 Sedã compacto traz bom pacote com conforto, segurança e tecnologia, e se diferencia entre os carros da marca pelo perfil mais “clássico” Daniel Jacques O carro mais “pé no chão” da Honda. Talvez assim possa ser definido o sedã compacto City. Com todas as qualidades de conforto, mecânica e eficiênc...
Autos Giros com o Honda Fit EXL 2018 Compacto da marca japonesa trouxe novidades baseadas em três pilares: design, conforto e segurança. Autos Giros testou a versão top EXL 2018 Daniel Jacques Quando uma marca apresenta a nova versão de um carro, a primeira coisa que se espera é uma nova motorização, mais eficiente, potente e com res...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *