Autos Giros | O que está chegando e o que vem por aí

O novo Ford Mustang, a inovadora apresentação do Jaguar I-Pace e o futuro da mobilidade são alguns dos assuntos desta semana

Daniel Jacques

Fala galera, tudo certo?

Hoje eu resolvi falar sobre algumas novidades que estão chegando. Algumas ao Brasil, como o tão esperado Ford Mustang, e outras ainda um tanto distantes de nós, mas com o que o mundo começa a conviver cada vez mais diariamente: os carros híbridos e autônomos.

Depois de uma intensa campanha de pré-lançamento, a Ford finalmente realizou a entrega simbólica do primeiro Mustang “oficial” no mercado brasileiro. O felizardo, que agora vai aproveitar seu muscle car GT V8 de simplórios 466 cavalos de potência, foi Alexandre Carvalho Cabrera Mano, de São José dos Campos (SP).

Antonio Baltar, diretor de Marketing da Ford, Alexandre Mano, proprietário do primeiro Mustang oficial no Brasil e Fernando Pffeifer, gerente de Marketing da Ford. Foto: Divulgação

Vai ser bonito começar a ver mais Mustangs por aí nas ruas. É claro que não vai ser como um Onix ou HB20, mas se for como o Chevrolet Camaro, que volta e meia pinta um por aí, já vai ser bem legal. Aliás, está prometida uma “disputa” forte entre os dois superesportivos, hein? Quem será que ganha?

A 300 km/h no meio da madrugada

I-Pace: 0 a 100 km/h em 4,8 segundos. Foto: Divulgação

Mantendo sua tradição de criar situações inusitadas para lançar seus carros, a Jaguar colocou o seu novíssimo I-Pace para dar uma volta no circuito de Mônaco às 3h30 da madrugada no começo desta semana. Já imaginou a barulheira que foi o SUV rasgando as ruas do principado em plena madrugada? Então pode esquecer, pois o carro é elétrico. Zero emissão e zero som, já que não tem motor a combustão.

A motorização elétrica alcança 400 cavalos de potência e acelera de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos. Ele tem bateria de litio de 90 kWh (quilowatt-hora).

Mais uma sacada genial da marca britânica para um carro que, segundo Flavio Porto, diretor de marketing do grupo Top Car, concessionária da marca britânica no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, “deixa todos os outros carros velhos”.

Acidente. De quem é a culpa?

Um carro autônomo da Uber se envolveu em um acidente com vítima fatal na cidade de Tempe, no Arizona (EUA). O carro, um XC90 autônomo, atropelou uma pedestre e a matou. No vídeo publicado na internet é possível perceber que a mulher apareceu repentinamente e o carro não reagiu. Havia um motorista a bordo, que estava distraído. Com o fato, a Uber anunciou imediatamente a suspensão dos testes com carros autônomos.

A questão é: de quem é a culpa pelo acidente?

Do motorista? Mas o carro é autônomo, não é?

Da Volvo? Que produziu e forneceu o carro? Afinal, a “garantia” de segurança vem dela como fabricante, não?

Ou da Uber? Neste caso, por se tratar de teste, sim. Mas e se fosse um motorista parceiro? E se fosse o seu carro autônomo, a responsabilidade seria sua?

O fato é que os carros autônomos estão a caminho e vão chegar. Só que as questões que os envolvem vão, como mostra este caso, muito além de simplesmente a auto-condução. Há um certo caminho a percorrer também em questões jurídicas e morais antes de vivermos no mundo dos Jetsons. Fica a reflexão.

Até a próxima semana!

Deixe uma resposta