Acabou a paz no reino dos sedans compactos

“Cobalto e City viviam tranquilos em seu pequeno reino, de nome Compacto, no País dos Sedans. Donos de 96% das terras, eram cercados por seres menores, com quem conviviam pacificamente. Porém, um belo dia chegou ao reino um ser identificado como Virtude, empunhando uma arma estranha, chamada turbocompressor. Virtude ainda causava comoção quando chegou Cronos, que se autointitulou “deus do tempo” e determinou que os tempos de paz no reino haviam acabado. City reagiu, argumentando que tinha novas habilidades para contribuir com o reino. Cobalto refutou o impacto dos forasteiros, embora eles já tivessem erguido suas moradias no reino.

E agora, qual será o destino de Compacto?”

A estorinha acima trata-se de uma brincadeira para ilustrar o atual momento do sub segmento de sedans compactos no mercado brasileiro. Quem acompanha o setor automotivo deve estar notando a preponderância destes modelos nas manchetes, da mesma forma que aconteceu com os SUVs quatro anos atrás. Volkswagen lançou o Virtus, Honda repaginou o City, Fiat se posicionou com o Cronos e, ainda este ano, Toyota Yaris entra na briga.

As investidas das montadoras no segmento certamente seguem pesquisas e acompanham os hábitos e consumo dos brasileiros. Li em matérias de colegas da imprensa que a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) identificou, por meio de pesquisas, que muitos jovens estão preferindo os sedans para fugir da mesmice dos SUVs. A declaração foi de um um executivo da montadora durante apresentação do Cronos em Córdoba, na Argentina.

Talvez isso explique porque, apesar de continuarem sendo carros voltados para as famílias (especialmente por conta do amplo porta-malas), os sedans compactos atuais têm uma pegada mais esportiva no design e muita tecnologia embarcada.

Desde a ascensão dos SUVs como “carros de família”, o segmento de sedans perdeu 13,54% de market share (de 2014 a 2017). No sub segmento de compactos a queda foi ainda maior: 37%. Hoje, Chevrolet Cobalt e Honda City dominam mais de 96% deste mercado. Ao menos, dominavam até agora.

Com Virtus e Cronos já à venda, a vida dos dois líderes fica mais complicada. Além dos preços mais atrativos (Virtus parte de R$ 60 mil e Cronos de R$ 54 mil, enquanto o Cobalt pede R$ 66 mil pra começar), ambos são projetos mais modernos e ancorados no sucesso dos hatches dos quais derivam: Polo e Argo.

O Cronos também tem tudo para abocanhar parte do mercado dos sedans pequenos, que tem o Prisma como líder. O modelo da Fiat oferece câmbio automatizado a partir de R$ 60.990, quando já conta com central multimídia de 7 polegadas e controles de estabilidade e tração. O Prisma, por exemplo, acaba de lançar uma versão automática por R$ 58.690, mas abriu mão da central multimídia e oferece apenas rádio com bluetooth. Certo, câmbio automatizado não é o mesmo que automático, mas para quem busca somente o conforto de liberar o pé esquerdo, ok.

Estou ansiosa para ver em que essa disputa vai dar. Como será a vida no reino dos compactos a partir de 2018? Um chute: Cobalt continua rei, mas perde quase metade de seu território. Cronos e Virtus alcançam postos de liderança no reino, ultrapassando City em influência. E vocês, que fim aguardam para essa história? Comentem aí!


Leia a matéria completa sobre o novo Fiat Cronos

Deixe uma resposta