Teorias da conspiração com a pole da Daytona 500

E nesta semana a Nascar inicia o campeonato 2018 com a mais tradicional de suas etapas, às 500 milhas de Daytona. E por ser tão marcante, a agenda é bem diferente do restante da temporada. O pole, e o segundo lugar do grid, por exemplo, são definidos uma semana antes numa sessão classificatória em que os carros entram na pista separadamente para marcar o melhor tempo. O dono da façanha neste ano foi Alex Bowman, que substitui Dale Earnhardt Jr. no Chevrolet #88 da Hendrick. Ele terá Denny Hamlin do Toyota #11 da Gibbs ao lado dele na primeira fila.

Seguindo a agenda única de Daytona, as demais posições do grid são definidas nos Duels na quinta-feira a noite. São duas mini provas com metade dos pilotos em uma e a outra metade na outra. O resultado do primeiro Duel forma o lado ímpar do grid (do terceiro para trás) e o resultado do segundo Duel o lado par (do quarto para trás).

O pole da Daytona 500 vem levantando algumas suspeitas nos últimos anos. O próprio Nelsinho Piquet, piloto brasileiro que disputou provas da categoria no passado, twittou a respeito. Como praticamente ser pole desta corrida não vale absolutamente nada, pois há toda a questão do vácuo e da quantidade de voltas, a suspeita é que a Nascar sempre arruma uma forma de colocar lá na frente quem vai ajudar a  “vender” a corrida na semana seguinte da qualificação e que antecede a prova.

Em 2013, primeira temporada completa de Danica Patrick na categoria e ela fez a pole. O ano seguinte marcava a volta do lendário carro #3 ao grid, que estava fora desde a morte de Dale Eanhardt Sr. e Austin Dillon, a bordo do carro, fez a pole. Já em 2015 Jeff Gordon, um dos grandes nomes da categoria, anunciou aposentadoria e não deu outra. Em sua última Daytona 500, ele fez a pole. 2016 marcou a estreia de Chase Elliott no #24, no lugar de Gordon, e lá estava mais uma pole carregada de atenção da mídia. Ano passado falhou um pouco a teoria, pois Elliott fez novamente a pole que seguindo a lógica, era para ficar com Dale Earnhardt Jr, que também aposentou. Mas o #88 largou em segundo ano passado e neste ano, com Bowman no voltante, vai sair da frente.

Leia mais

Noite de glória para Kyle Busch em Charlotte Para quem vem acompanhando aqui no Autos Giros nossa coluna semanal sobre a Nascar, já percebeu que dois nomes vêm se destacando em 2018. Kevin Harvick e Kyle Busch. O primeiro, contando apenas as provas válidas para o campeonato, já conquistou cinco vitórias e o segundo, com o feito do último final...
Copo meio cheio, copo meio vazio Se alguém lhe falasse de um piloto que depois da sexta etapa do campeonato lidera a tabela de classificação, você diria que este é um piloto azarado e que não está bem? É mais ou menos isto que acontece com Kyle Busch na Nascar, grande parte devido ao regulamento dos playoffs, que dá um peso enorme ...
Enfim a vitória de Toyota em 2018 na Nascar Depois de ver a Chevrolet abrir a temporada 2018 com vitória na Nascar, nas 500 milhas de Daytona, e depois a Ford emendar três vitórias seguidas (Atlanta, Las Vegas e Phoenix), enfim a Toyota foi ao “Victory Lane” em Fontana. O campeão Martin Truex Jr. fez uma prova em grande estilo e venceu os trê...
A hora e o momento de Kevin Harvick na Nascar O ano começou muito bem para Kevin Harvick, piloto do Ford Fusion #4 da equipe Stewart-Haas Racing. Ele emendou duas vitórias dominantes na sequência, Atlanta e Las Vegas, e se prepara para Phoenix, pista onde ele é mestre. Embalado como está e com o retrospecto que possui no oval, as chances de emp...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *