Grupo Renault revela sistema autônomo capaz de evitar obstáculos

Grupo Renault revela sistema autônomo capaz de evitar obstáculos

Sistema autônomo pôde fazer uma manobra para evitar uma colisão com a mesma precisão de pilotos de teste

O Grupo Renault desenvolveu um sistema de condução autônoma capaz de gerenciar cenários desafiadores. Pela primeira vez, um veículo pôde fazer uma manobra para evitar uma colisão com a mesma taxa de sucesso que pilotos de teste. Os pilotos que serviram de inspiração e referência para a equipe do Laboratório de Inovação Aberta da Renault, localizado no Vale do Silício (EUA), estão entre os melhores do mundo.

“O Grupo Renault tem o objetivo de estar entre os líderes em inovação por meio de seus produtos, tecnologias e design”, explicou Simon Hougard, Diretor do Laboratório de Inovação Aberta da Renault. “Nosso trabalho com foco em inovação concentra-se principalmente no desenvolvimento de tecnologias avançadas de condução autônoma para garantir a segurança e o conforto de nossos clientes.”

Melhorar a segurança com sistema autônomo

O Laboratório de Inovação Aberta da Renault faz parte da rede de laboratórios criada pela Aliança. O objetivo é melhorar a segurança e as tecnologias avançadas para sistema autônomo. O trabalho é baseado em pesquisas publicadas pelo Laboratório de Design Dinâmico da Universidade de Stanford (EUA). Ele trabalha em parceria com o Laboratório de Inovação Aberta da Renault.

O Grupo Renault pretende lançar mais de 15 modelos com diferentes níveis de capacidade de condução autônoma até 2022, por meio das sinergias da Aliança.

Mercado brasileiro

A Renault continua crescendo em participação de mercado no Brasil. No período de janeiro a novembro, a fabricante acumula 7,7% de market share. Isto representa um avanço de 0,1 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2016.

Em novembro, o Renault Master completou mais um mês na liderança do segmento de furgões com até 3,5 toneladas de Peso Bruto Total. No acumulado do ano, o veículo detém 51 % de participação de mercado no segmento.

Vitor Pereira

Deixe uma resposta