Marcos Munhoz destaca a importância do Rio Grande do Sul para a General Motors

Hoje executivo da montadora no país, Marcos Munhoz participou da história da planta gaúcha desde quando ela era apenas uma ideia

Daniel Jacques

Marcos Munhoz, vice-presidente da General Motors Mercosul, foi o palestrante convidado da edição deste mês do “Almoçando com a ACIGRA”. O evento, promovido pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí (ACIGRA), foi realizado no Hotel Intercity Premium, na mesma cidade.

O tema da apresentação do executivo da GM foi “Acelerando com o Rio Grande”. Durante sua fala, Munhoz relembrou a história da fábrica da montadora em Gravataí, desde o dia, ainda nos anos 1990, em que “foi informado” de que a empresa criaria um novo carro de entrada e teria uma nova fábrica – então sem local definido – com um conceito inovador de produção.

Fábrica gaúcha da General Motors trouxe inovação à marca

Inaugurado no dia 20 de julho de 1990, o Complexo Industrial Automotivo de Gravataí produz, atualmente, uma média de 68 veículos por hora. São fabricados no local os modelos Prisma, Prisma Joy, Onix, Onix Joy e Onix Activ. O então novo carro, razão de criação da planta gaúcha, era o Celta, que deixou de ser fabricado em 2015.

Munhoz também destacou os novos investimentos anunciados neste ano para a operação da marca em Gravataí. Além de uma nova ampliação da fábrica, haverá também a produção de novos veículos. Fora isso, a fábrica de motores de Joinville (SC) também será ampliada, justamente para atender a futura produção da planta gaúcha.

Marcos Munhoz; Por que a GM é líder no Brasil?

O evento também contou com a presença do prefeito de Gravataí, Marco Alba (PMDB). Após a palestra, Alba perguntou a Marcos Munhoz sobre a política de exportações da marca no Brasil. Em sua resposta, o executivo da GM afirmou que a empresa pretende fazer da Chevrolet a líder de exportações na América do Sul. Segundo ele, a fábrica de Gravataí é fundamental para esta estratégia.

Para Marcos Munhoz,, alguns fatos ajudam a explicar a liderança de quase três anos da marca no mercado brasileiro. Entre elas estão a sua coragem de investir mesmo durante a crise e a sua preocupação em ouvir o cliente. O executivo também destacou o alto nível de criatividade e tecnologia da marca. Por fim, sublinhou a crença que a montadora tem na capacidade de suas equipes, desde o design até a produção.

Deixe uma resposta