Das duas às quatro

Por Paulo Rogério

Permitam-me pedir licença ao proprietário e editor do Autos Giros (conhecido como chefe) para sair só um pouquinho dos carros e falar sobre motos. Motos premium, é claro, a coluna é Mundo Premium.

É que estivemos na semana passada na cobertura do Salão Duas Rodas, em São Paulo. E tal e qual ocorreu na Fenatran (onde tive a honra de reencontrar o ‘chefe’), foi uma maratona de apresentações durante quase todo o dia. Mesmo assim, conseguimos ver e concluir algumas questões.

Uma delas mostra que motos populares e mais comuns no dia a dia até podem aparecer em um evento desse porte, mas as marcas fazem questão que o destaque seja a linha premium. Nada contra as populares, mas quem se desembesta até uma exposição dificilmente quer ver o que acabou de ver no trânsito, passando ao lado.

Então, que sejam as premium. A BMW mostrou a HP4 RACE, cuja produção é limitada em apenas 750 unidades, sendo cinco delas destinadas ao Brasil. Ela possui quadro principal construído em fibra de carbono e é impulsionada por um motor de quatro cilindros e 999 cc capaz de gerar 215 cv e 12,5 kgfm de torque, tudo acoplado a uma transmissão de seis marchas. Terá o preço de R$ 490 mil.

Quatrocentos e noventa mil reais…

Estou dando só um exemplo. Ali tinha toda a linha 2018 da Harley-Davidson, além de modelos Honda, Yamaha, Indian, Royal Enfield, Ducati, Audi etc…

Epa!! Falei Audi…e a Audi não fabrica motos.

É verdade, mas compõe o conglomerado de marcas do qual a Ducati faz parte. E aí entrou o RS3 na parada.

As vendas da nova geração serão iniciadas em dezembro. Os preços ainda não foram divulgados. Tem propulsor 2.5 TFSI de cinco cilindros de 400 cv de potência – são 33 cv a mais que antes. O torque é de 49 kgfm e a transmissão é automatizada de dupla embreagem e sete velocidades. Cumpre o zero a 100 km/h em 4,1 segundos.

Deixe uma resposta