Vettel vence GP do Brasil e antecipa revanche contra Hamilton em 2018

Por André Malinoski

Há três tipos de corridas na Fórmula 1. Algumas provas valem muito, outras não representam nada, e uma parcela simboliza algo para ser comemorado mais adiante. Neste último item pode ser incluído tanto Sebastian Vettel, vencedor do Grande Prêmio do Brasil de F-1, como a Ferrari. O triunfo em Interlagos garantiu o vice-campeonato da temporada ao piloto, um alento depois de perder o título para Lewis Hamilton. Por sinal, o britânico, que saiu dos boxes na penúltima etapa de 2017, chegou na quarta posição após promover uma escalada de qualidade no circuito de São Paulo.

Alguém poderia simplesmente atenuar a vitória de Vettel sob a alegação de que o Mundial está decidido desde a corrida anterior. Não deixa de ser verdade. Mas manter a competitividade tendo um carro inferior ao do corredor da Mercedes, tem um significado mais do que especial. É o mesmo que mandar um recado a Hamilton sobre o futuro. É antecipar nova briga acirrada para 2018. O revezamento pela liderança entre eles deve ter novo tira-teima em breve. Pelo menos no que depender de Vettel.

O GP do Brasil de F-1 teve, além da performance vitoriosa de Vettel, o segundo lugar de Valtteri Bottas, enquanto Kimi Räikkönen subiu ao terceiro degrau do pódio depois de impedir o avanço de Hamilton nas voltas finais. Foi um domingo de comemoração por parte da Ferrari, que não lembrava o gosto de ser a primeira colocada no Brasil desde 2008.

Felipe Massa é um capítulo à parte. O brasileiro finalizou a prova no sétimo posto, pegou uma bandeira verde para festejar sua despedida da principal categoria do automobilismo mundial. Depois do fim desta temporada, Massa não seguirá na Williams, nem na F-1. A emoção ao receber a bandeirada de chegada era intensa, em especial após o filho dele fazer uma declaração de amor incondicional ao vice-campeão mundial de nove anos atrás.

A temporada caminha para o apagar das luzes. Os lances recentes precisam ser apreciados, como a ultrapassagem de Vettel sobre o pole Bottas em Interlagos, ou a própria tomada da liderança por Hamilton em cima de Vettel. O britânico cederia o posto ao trocar os pneus macios pelos supermacios na volta 43. O calor e o asfalto escaldante exigiram bastante dos compostos dos carros. A borracha criava bolhas e se soltava em tiras em alguns momentos.

Mesmo ainda tendo a disputa do GP de Abu Dhabi no dia 26, a temporada termina com os três primeiros colocados do ano mais do que conhecidos — Hamilton, Vettel e Bottas. Aquela frase comum aos finais das novelas antecipa 2018: “A seguir cenas dos próximos capítulos”. Os tetracampeões Hamilton e Vettel prometem muito mais. Velocidade é com eles.

 

Deixe uma resposta