Montadoras puxam indústria para a frente

Por Vandré Kramer
vandre.kramer@uol.com.br

A fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias são um dos segmentos que têm puxado a reação da indústria, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento nos 12 meses encerrados em setembro foi de 12,7% em comparação a igual período anterior.

Só um outro segmento tem desempenho melhor: o de produtos de informática, produtos eletrônicos e óticos, que cresceu 17,7% no comparativo entre os dois períodos.

Comparando com a indústria em geral, pode-se dizer que as montadoras estão um crescimento vigorosíssimo. A produção industrial teve uma expansão de 0,4%, de acordo com o órgão oficial de estatísticas. E a tendência é de que ela aumente mais nos próximos meses. Bancos e corretoras projetam que a produção industrial aumente 2% em 2017.

A expansão do segmento automotivo está relacionada à saída do fundo do poço em que a economia brasileira se meteu nos últimos dois anos e ao forte crescimento das exportações.

Os últimos números do mercado interno indicam que a reação está consolidada. Segundo a Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores), nos dez primeiros meses do ano foram comercializados 1,51 milhões de carros, 10,63% a mais do que no mesmo período de 2016.

Nas vendas, somente motos e caminhões estão com vendas abaixo das verificadas no ano passado. No primeiro caso, as dificuldades com o crédito desestimulam as vendas. No segundo, as vendas são afetadas pelas incertezas no cenário político, que afetam as decisões de longo prazo.


Vandré Kramer é jornalista, com formação em economia e pós-graduação em mercado financeiro. Trabalhou por mais de 20 anos cobrindo a área econômica para jornais de Santa Catarina (SC).

Deixe uma resposta