Car detailing, usado brilhando como novo

Por Rosângela Groff

Carro usado com aparência de novo, brilhando, como se tivesse saído da loja. Isso é possível sim, com o Car Detailing, ou detalhamento automotivo. Um processo de limpeza e proteção do veículo. O detalhamento, além de tratar a pintura do veículo e aumentar a profundidade do brilho, também higieniza e trata itens como borrachas, vidros, estofamento em couro e tecido, painel de instrumentos, cofre do motor, rodas e caixas de roda. Todos os itens recebem produtos específicos para que o veículo recupere a melhor aparência e ganhe maior durabilidade.

Segundo o detailer Luccas Panitz, de Porto Alegre, com o uso, o automóvel passa a ter riscos em forma de redemoinho, holografias causadas por polimentos e lavagens e manchas adquiridas por substâncias contaminantes do ambiente externo, como seivas de árvores e fezes de aves. Através do detalhamento é possível fazer a limpeza da lataria e de outros setores do carro e a aplicação de produtos como ceras, selantes, reforçadores de brilho e protetores.

O serviço protege a pintura de nocividades naturais como sol, chuva ácida, contaminantes externos e demais causadores de danos. “A superfície do veículo fica extremamente lisa e com uma camada de proteção, oferecendo uma repelência à água, o que faz com que o carro permaneça limpo por mais tempo e facilite a lavagem, uma vez que a sujeira tem menos aderência”, explica Panitz. “O veículo fica com uma aparência de novo, com um brilho intenso e ainda o interior higienizado”, completa.

Segundo o especialista, com o calor, os contaminantes externos reagem com mais agressividade na pintura, manchando a pintura e, nos casos mais graves, corroendo o próprio verniz. “Às vezes, o polimento resolve. Mas há casos onde só a pintura pode cobrir o dano”, afirma. Panitz aconselha aos proprietários para que não deixem seus carros embaixo de árvores ou marquises, pois correm o risco de os resíduos externos mancharem a pintura se não receber logo o tratamento adequado.

O detalhamento pode ser feito em qualquer momento da “vida” do carro, que também funciona como uma ação preventiva de problemas na pintura. O selante, por exemplo, tem a característica de promover a resistência a intempéries. O vitrificador ajuda a diminuir os riscos e dá um brilho duradouro ao automóvel. E todo o processo de limpeza e higienização deixa os acabamentos com aspecto renovado, destacando os detalhes de materiais e design, tanto na parte externa quanto no interior do veículo, dos plásticos à forração de teto.

Em relação à garantia do serviço, há prazos de acordo com o trabalho executado. O selante tem durabilidade de seis meses a um ano, dependendo da lavagem do carro. “O vitrificador dura até três anos, conforme o fabricante, mas, na prática, acredito que é de um ano e meio a dois”, ressalta Panitz. Ele faz a aplicação em duas camadas com um produto produzido com especificações para climas extremos, incluindo neve e altas temperaturas. O polimento é feito com três ou quatro pastas, um refinamento da pintura que tira todas as marcas. “Sem o polimento prévio, não é possível aplicar o lustro pois irá realçar ainda mais as manchas, podendo até solidificar substâncias como o piche, por exemplo”, salienta o detailer.

Panitz afirma que o seu cliente é aquele proprietário exigente, que quer o carro impecável. “O meu público é mais criterioso, tem mais informação sobre o trabalho. O dono do carro já vem sabendo como é o trabalho porque leu a respeito e também busca informações mais técnicas”, comenta. Mercedes-Benz, Audi, BMW e tantas outras marcas e modelos premium estão na lista de clientes do profissional que conta que, muitas vezes, a estética é mais importante do que a mecânica para o consumidor.

Mas não são somente veículos seminovos que são trazidos à empresa de detalhamento automotivo. Carros com 20 e 30 anos também são atendidos pelo detailer, que tem clientes de fora do país, como é o caso de um colecionador do Uruguai, que já trouxe três automóveis para receberem o tratamento que é baseado no conceito norte-americano de higienização de veículos. E todo o trabalho feito em cada veículo pode ser depois conhecido pelo proprietário, que recebe um CD com vídeo e sequência de fotos do serviço. Panitz especifica que a o processo de limpeza e vitrificação pode levar em torno de quatro dias. Depois é só deixar passar dois dias sem lavar o carro para curar o produto”, frisa.


Rosangela Groff é jornalista e atua há mais de 10 anos na área automotiva. É editora do caderno Carros & Motos do jornal Correio do Povo, um dos mais tradicionais do Rio Grande do Sul, com mais de 120 anos de existência. Também edita conteúdo impresso e on-line no segmento de autopeças para entidades do setor.

A coluna Auto Performance é veiculada todas as sextas-feiras e aborda os mais diversos temas do setor, desde as estratégias de mercado das marcas até as novas  tecnologias que equipam os veículos.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: