Ducati perto de quebrar tabu na MotoGP

Escuderia italiana entrou de vez na briga pelo título da MotoGP após as duas vitórias consecutivas do também italiano Andrea Dovizioso

Dez anos depois, a Ducati volta a entrar na briga pelo título da MotoGP, a mais importante competição de motovelocidade do planeta. Com as as duas vitórias seguidas na últimas rodadas, Andrea Dovizioso subiu para a segunda posição no campeonato, a apenas sete pontos do líder Maverick Viñales, da Yamaha. A última (e única ) vez que a escuderia conquistou o título foi em 2007, com o australiano Casey Stoner. Se conseguir terminar a temporada na frente, Dovi quebrará esse e outro jejum, que já dura 45 anos: desde que Giacomo Agostini conquistou o Mundial com a MV Agusta, em 1972, um italiano não se sagra campeão a bordo defendendo uma equipe de seu país.

– Nos demos conta de que o consumo do pneu traseiro era muito alto e, por isso, não devíamos apertar o máximo. Quanto ao campeonato, não quero pensar adiante da próxima prova. Não tenho pressão para sair campeão – declarou o piloto logo após a vitória na Catalunha, Espanha.

A prova foi emblemática no que diz respeito à competitividade da categoria principal. Foram quatro líderes – curiosamente, coube a vitória o único que não corria “em casa”. O primeiro deles foi o espanhol Dani Pedrosa (Honda), que largou na pole. Mas, pouco depois da largada, seu compatriota Jorge Lorenzo (Ducati) o ultrapassou. Mas o temperamental piloto perdeu rendimento, foi ultrapassado por Marc Márquez, outro da Honda, e foi perdendo posições até ficar em sexto, lugar que ocupou até o final.

Com bastante arrojo, Pedrosa passou Márquez, que também foi ultrapassado por Dovi. Os três andavam na mesma balada e, a sete voltas para o fim, o italiano conseguiu assumir a ponta. Na mesma volta, Márquez superou Pedrosa, e os dois garantira lugar no pódio. Logo atrás de Lorenzo, as supresas foram o francês Johann Zarco e o alemão Jonas Folger, ambos da Yamaha Tec 3. Já as estrelas do time oficial da fábrica japonesa tiveram um final de semana para esquecer. Líder do campeonato, Viñales foi apenas o décimo. Compaheiro de equipe dele, o italiano Valentino Rossi foi apenas o oitavo e, depois de líderar o campeonato nas primeiras etapas, agora caiu para a quinta posição.

Espanhóis

Viñales soma agora 111 pontos, contra 104 de Dovi. Márquez (88), Pedrosa (84) e Rossi (83) aparecem a seguir. Quer uma prova que a MotoGP tem disputa acirrada? qualquer um deles que vencer a próxima etapa, dia 25, no circuito de Assen, tem chance de assumir a liderança. A prova holandesa é válida pela nona das 18 etapas da competição.

Os mais de 100 mil espanhóis que lotam as arquibancadas tiveram de se contentara com compatriotas no topo apenas nas categoruas de baixo. Irmão mais novo de Marc, Álex Marquez venceu a Moto2 de ponta a ponta, à frente do italiano Mattia Pasini e do suíço Thomas Luthi. O ítalo-brasileiro Franco Morbidelli foi sexto e manteve a liderança, com 123 pontos.

Na Moto3, vitória do líder Joan Mir, da Espanha, com o italiano Romano Fenati em segundo e o espanhol Jorge Martín em terceiro.

Deixe uma resposta