Homem de Gelo, mas de coração quente!

Por Antonio Munró Filho

Gosto dos quietos, dos avessos às badalações e dos sorrisos falsos em tempos de selfies. É por isso que admiro finlandês Kimi Raikkonen. Desde os tempos de novato na Sauber, o Homem de Gelo impressionou pela curtíssima carreira até então e pela velocidade com que chamou a atenção das grandes equipes. Num mundo onde o dinheiro, mais do que nunca, impera e os “compromissos” contratuais colocam os pilotos em cada roubada de marketing, Raikkonen é a exceção.

Homem de poucas palavras, o campeão mundial de 2007 quase nunca mostra os dentes em público, mesmo quando vence corridas e campeonatos. Discreto, ele parece dar atenção àquilo que realmente importa: carreira, amigos, família e bebedeiras homéricas (sempre longe do volante, diga-se de passagem). Basta uma rápida pesquisa para encontrar vídeos em que o Homem de Gelo é nocauteado após doses cavalares de vodca. Uma figura que certamente contrasta com o mundo politicamente correto e asséptico da Fórmula-1. Uma espécie de piloto das antigas em plena atualidade.

Raikkonen, que, na pista, não tem tido boas temporadas, parece que tem “compensado” a falta de brilho valorizando o que realmente faz a diferença na vida das pessoas. Por exemplo, no Grande Prêmio da Espanha, disputado no último domingo, ele mal passou da primeira curva após se envolver num incidente entre Valteri Bottas e Marx Verstappen. Nas arquibancadas, um pequeno ferrarista tomou aquele abandono como uma questão existencial e se esvaiu em lágrimas. Coisas de crianças, sempre tão verdadeiras e intensas. Durante a corrida, o menino volta a aparecer na transmissão, todo sorridente e pimpão, ao lado de quem? Kimi Raikkonen!

O ato, digno de nota, coluna (como esta) e aplausos, foi um golaço da Fórmula-1, da Ferrari e, claro, de Raikkonen. O Homem de Gelo, aquele de poucas palavras, sorrisos escassos e bebedeiras homéricas, sabe dar valor às coisas que realmente importam. O pequeno ferrarista, garanto, jamais vai esquecer aquele momento.

O Homem de Gelo é um homem de coração quente!

Confira o vídeo:

Leia mais

Na F-1, filho de peixe, peixinho não é… Por Antonio Munró Filho Depois da vitória do holandês Max Verstappen no GP da Malásia, realizado no último domingo, ficou mais claro do que nunca que na F-1, o provérbio filho de peixe, peixinho é, não se confirma! No caso de Max, a lógica é perversamente inversa, pois o filho apresenta todos os at...
Quem diria, vem aí a McLaren Renault! Por Antonio Munró Filho Em 1991 tive a oportunidade de assistir pela TV uma das temporadas mais quentes da F-1. A disputa acirrada entre a McLaren Honda e a Williams Renault fez com que Ayrton Senna e Nigel Mansell, respectivamente, protagonizassem duelos inesquecíveis. Lembro que a rivalidade entr...
Foi em Spa Francorchamps que o mundo conheceu um c... Por Antonio Munró Filho Spa Francorchamps será o palco de mais uma edição do GP da Bélgica. A cada dez pilotos, “vinte” apontam o circuito com o melhor e mais desafiador no calendário de provas. Tal é o grau de admiração que o traçado exerce sobre as feras do volante. A mítica pista, no entanto, te...
Você lembra do último grande “Bad Boy” da Fórmula-... Ele chegou trazendo um sobrenome famoso de volta à Fórmula-1, um sorriso de quem está acostumado às vitórias, um olhar desafiador e, quando ganhou o título mundial, ostentava cabelos loiros, quase brancos, que contrastavam com seu macacão azul. Para completar, ele ganhou a fama de “bad boy”. Já sabe...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: