Toyota inicia testes de demonstração do Mirai na China

Toyota Mirai. Foto: Divulgação

A Toyota realizará testes de demonstração no Mirai pelo período de três anos, entre 2017 e 2020

A Toyota enviará duas unidades do veículo Mirai para a China em outubro de 2017. O objetivo é realizar testes de demonstração no país. Paralelamente, a Toyota também estabelecerá uma estação de hidrogênio naquele país.

A marca japonesa é participante ativa no projeto Acelerando o Desenvolvimento e Comercialização de Veículos Movidos à Célula de Combustível na China. O programa é gerido e financiado pelo Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento e o Fundo Mundial para o Meio Ambiente. A Toyota realizará testes de demonstração no Mirai pelo período de três anos, entre 2017 e 2020.

A fabricante conduzirá pesquisas sobre o desempenho do veículo dentro do meio ambiente chinês. Assim, ela também testará a qualidade do hidrogênio do país, além de realizar uma variedade de avaliações de qualidade e durabilidade.

A Toyota também promoverá atividades para avaliar a receptividade dos chineses ao veículo movido à célula de combustível a hidrogênio. O Mirai estará presente em diversos eventos que visarão a melhorar a compreensão pública em relação à tecnologia.

Estações de hidrogênio

Existem atualmente cinco estações de hidrogênio na China centradas nas regiões metropolitanas de Pequim, Xangai e Guangzhou. A estação de hidrogênio que a Toyota planeja construir em sua sede será a primeira deste tipo na cidade de Changshu.

Toyota Mirai

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para a Toyota, o Mirai é o carro símbolo da sustentabilidade: não emite CO2 e possui a mesma conveniência de um veículo a gasolina. Além disso, proporciona total conforto em dirigir. Entre dezembro de 2014 e fevereiro de 2017, aproximadamente 3.000 unidades do Mirai foram vendidas em todo o Japão, Estados Unidos e Europa. A infraestrutura de hidrogênio tem se expandindo nestes países e regiões.

Atualmente, a Toyota também está realizando testes de demonstração em países como a Austrália, Emirados Árabes Unidos e Canadá.

 

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: