Pirelli celebra 110 anos do esporte a motor

“Nós chegamos em Paris em primeiro, apenas trocando duas rodas”.

Esse foi o texto de um telegrama de agosto de 1907, enviado da capital francesa pelo Príncipe Scipione Borghese. Ele venceu a corrida de Pequim para Paris, em uma Itala equipada com Pirelli, com uma grande vantagem sobre seus rivais.

Para aquela época, naquelas estradas, foi um resultado excepcional, alcançado após 16 mil quilômetros difíceis que puniram os pilotos, carros e pneus. Foi também uma aventura que trouxe a atenção do público para a performance e a segurança de um produto que logo seria reconhecido pela famosa logomarca Pirelli.

110 anos

Neste ano a Pirelli celebra o seu 110º aniversário de dedicação ao esporte a motor.  Há muito tempo a importância do esporte a motor superou os limites das pistas e chegou às ruas. Hoje ele é fundamental para o desenvolvimento tanto para pneus de carro como de motos no que se refere ao desenvolvimento de tecnologias.

A fabricante italiana de pneus se deu conta disso no fim do século XIX com seu fundador, Giovanni Battista Pirelli. Ele percebeu que corridas de motocicletas poderiam funcionar como testes para seus produtos voltados para as ruas.

Pirelli celebra 110 anos do esporte a motor. Foto: Divulgação

A data está sendo celebrada no Museu Nacional do Automóvel de Turim, um verdadeiro ícone da história motorizada. Atualmente, o local é o atual lar da Itala 35/45 HP (acima), que venceu em Paris e marcou o verdadeiro primeiro capítulo da ilustre história da Pirelli no esporte a motor.

O Museu

A coleção de tesouros de duas e quatro rodas, equipada pela Pirelli, representa 110 anos de história. Ela inclui desde a Itala do Príncipe Scipione até os novos pneus mais largos da Fórmula 1 2017.

Lá também há uma janela para o presente. De um lado, um Porsche 911S Turbo de uso nas ruas. Do outro, uma Lamborghini Huracan GT3 de competição. Eles simbolizam claramente as semelhanças impressionantes entre o produto P Zero de estrada e de competição. Eles representam o elevado nível da capacidade do segmento de ultra-high performance da Pirelli.

Os pneus da Ducati do Campeonato Mundial de Superbike também caracterizam o lema: “vendemos o que corremos, corremos com o que vendemos”. Por muitos anos, este tem sido o cartão de visita de um produto que permite que as motos voem na pista.

Prestige

Este é o conceito no coração da divisão de prestige da Pirelli, que hoje equipa 50% de todos os carros deste segmento. O prestige é uma filosofia: o símbolo da missão da Pirelli como a escolha ideal para as motos e carros mais potentes, exclusivos e desejáveis ​​do mundo.

O prestige é uma filosofia: o símbolo da missão da Pirelli como a escolha ideal para as motos e carros mais potentes, exclusivos e desejáveis ​​do mundo.

Tecnologia avançada

Dentro das celebrações dos seus 110 anos, a Pirelli abriu as portas do seu complexo em Settimo Torinese. No coração da instalação está o Next Mirs: sistema de produção industrial mais digitalizado que existe atualmente. Ele representa o ponto culminante do pensamento e da tecnologia de ponta, patenteado pela Pirelli.

O processo é completamente robotizado e dedicado à produção de pneus de alto desempenho, com medidas entre 19 e 23 polegadas. E é onde os pneus P Zero são criados, tanto para as pistas de corrida como as estradas. E a planta também produz compostos, incluindo aqueles usados ​​na Fórmula 1.

Esporte a motor

Para a Pirelli, a marca de 110 anos é algo para ser muito comemorado. Por isso, o evento contou com a presença de algumas das estrelas da Fórmula 1. Entre eles esteve Alessandro Zanardi, multimedalhista de ouro olímpico que voltou às corridas e às vitórias com a Pirelli.

Stefano Domenicali, presidente da Lamborghini também esteve presente. A marca é outra que demonstra a renomada transferência de tecnologia da Pirelli.

 

Deixe uma resposta