Reação do agronegócio estimula segmento de máquinas agrícolas

Por Vandré Kramer 
vandre.kramer@uol.com.br

As previsões mais otimistas para a indústria automobilística em 2017 vêm do segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias. A estimativa da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) é de um crescimento de 13% nas vendas internas e de 6% nas exportações. A expectativa é de que a produção cresça 13%.

O ano começou bem para o segmento. As vendas no atacado de tratores de rodas mais do que dobraram no comparativo ente janeiro de 2016 e 2017. No mês passado, foram vendidas 2.264 unidades. Os negócios envolvendo colheitadeiras de grãos aumentaram 13,7%. E as de cana, um ramo mais específico, aumentaram 122,2%.

Isso considerando que, tradicionalmente, janeiro é um mês fraco no segmento. Aproximadamente 70% das vendas se concentram entre março e outubro, quando os produtores rurais estão mais capitalizados.

O desempenho do segmento de máquinas agrícolas vem impulsionado pela reação do agronegócio. Levantamento feito pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/USP) para a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) mostra que, entre janeiro e outubro, o setor cresceu 4,26% em relação a igual período de 2016.

A tendência para o campo é de que esse cenário continue em 2017. O Bradesco projeta crescimento de 6% no PIB da agropecuária. Só para comparar, a perspectiva para a expansão da economia brasileira é de 0,3%.

Outro fato que traz ânimo redobrado para o segmento é o retorno crescimento no volume de concessão de crédito rural. Nos 12 meses encerrados em dezembro, foram liberados R$ 60,8 bilhões, segundo o Banco Central (BC). É o quarto mês seguido de crescimento na série histórica.

Também conta favoravelmente a expectativa extremamente favorável para a safra de grãos. A Conab projeta a colheita de 212,4 milhões de toneladas, ou 19% a mais do que na colheita 2016/7.

Os bons números do segmento de máquinas agrícolas e tratores registrados até agora podem ser a porta de entrada de um ciclo de expansão. Economistas do Bradesco projetam a possibilidade de alta nas vendas até 2024.

A conferir!


Vandré Kramer é jornalista, com formação em economia e pós-graduação em mercado financeiro. Trabalhou por mais de 20 anos cobrindo a área econômica para jornais de Santa Catarina (SC).

Leia mais

Números de janeiro mostram sinais promissores para... Por Vandré Kramer  vandre.kramer@uol.com.br Um sinal de que a maré pode estar dando uma virada no setor automotivo foi dada em janeiro: o licenciamento de veículos novos nacionais teve um tímido crescimento de 0,7%, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a ...
Os paralelos entre a economia e a indústria automo... Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br A reação da economia brasileira ainda está distante. Apesar do PIB no segundo trimestre ter crescido 0,3% em relação a igual período de 2016, a primeira expansão em 12 trimestres, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o PIB se...
Temporada de bons sinais Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br Já dá para enxergar sinais de recuperação da indústria automobilística. E as perspectivas para os próximos anos são favoráveis. Isso, no que depender das montadoras. Basta os condutores da política econômica e os governantes emitirem sinais positivos para...
Entre o promissor e o frágil Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br Nas últimas semanas, dois anúncios promissores para a indústria automotiva brasileira: o anúncio de mais de R$ 2 bilhões em investimentos para os próximos anos, feitos pela GM, a líder do mercado, e a Renault. Isto reflete a confiança em um mercado que ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *