Números de janeiro mostram sinais promissores para o setor automotivo

Por Vandré Kramer 
vandre.kramer@uol.com.br

Um sinal de que a maré pode estar dando uma virada no setor automotivo foi dada em janeiro: o licenciamento de veículos novos nacionais teve um tímido crescimento de 0,7%, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a partir de dados compilados do Renavam.

Foram licenciados 131,1 mil veículos. É a primeira vez em 24 meses em que há crescimento no comparativo entre um mês e o mesmo do período anterior. A expansão, entretanto, é limitada ao segmento de comerciais leves. A alta foi de 31,3%, com o licenciamento de 13,2 mil veículos. Os principais destaques em crescimento foram dados pela Fiat (65,4%), GM (63,7%) e Ford (61,6%).

Outro sinal promissor para a indústria automotiva vem do segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias. As vendas ao atacado (concessionárias) continuaram em alta em janeiro pelo sexto mês seguido. Foram negociadas 2,8 mil unidades, 74,9% a mais do que no primeiro mês de 2016. As vendas de tratores tiveram uma alta de 109,6%; as colheitadeiras de grãos, 13,7% e as colheitadeiras de cana, 122,2%.

É um reflexo do bom momento que vive o campo: a previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é um crescimento de 15,3% na safra de grãos. Nos dez primeiros meses do ano passado, o PIB do agronegócio acumulou um crescimento de 4,28%, de acordo com levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP) e da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA).

As exportações de autoveículos montados mostraram uma forte expansão de 56,1% em janeiro, comparativamente ao mesmo período do ano passado. Foram vendidas 37,2 mil unidades, o que rendeu um faturamento de US$ 809,8 milhões. O principal foco de expansão foi nos automóveis, com uma alta de 58,1% no número de unidades negociadas.

Estes sinais se refletem no terceiro mês seguido de crescimento na produção de autoveículos montados e sexto no de máquinas agrícolas e rodoviárias, segundo dados da Anfavea. A entidade empresarial projeta crescimento de 4% no licenciamento de autoveículos; 7,2% na exportação e 11,9% na produção, atingindo 2,41 milhões de unidades.

Algumas expectativas projetam para a realização das metas projetadas pela indústria automotiva: Instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central estimam que a inflação (medida pelo IPCA) em 2017 ficará bem próxima do centro da meta: 4,64%, o menor indicador em cinco semanas. E a taxa Selic deve encerrar 2017 em 9,5% ao ano. Atualmente, está em 13% ao ano. A conferir! Por enquanto, os sinais são promissores.


Vandré Kramer é jornalista, com formação em economia e pós-graduação em mercado financeiro. Trabalhou por mais de 20 anos cobrindo a área econômica para jornais de Santa Catarina (SC).

Leia mais

Reação do agronegócio estimula segmento de máquina... Por Vandré Kramer  vandre.kramer@uol.com.br As previsões mais otimistas para a indústria automobilística em 2017 vêm do segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias. A estimativa da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) é de um crescimento de 13% nas vendas internas ...
Vendas de veículos estreiam 2018 com forte alta Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br A venda de veículos em 2018 estreou com retumbantes 20,06% de alta no comparativo entre janeiro de 2018 e o mesmo mês do ano passado, segundo levantamento mensal realizado pela Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave) divu...
Temporada de bons sinais Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br Já dá para enxergar sinais de recuperação da indústria automobilística. E as perspectivas para os próximos anos são favoráveis. Isso, no que depender das montadoras. Basta os condutores da política econômica e os governantes emitirem sinais positivos para...
Entre o promissor e o frágil Por Vandré Kramer vandre.kramer@uol.com.br Nas últimas semanas, dois anúncios promissores para a indústria automotiva brasileira: o anúncio de mais de R$ 2 bilhões em investimentos para os próximos anos, feitos pela GM, a líder do mercado, e a Renault. Isto reflete a confiança em um mercado que ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *