Especial SDC 2016 – Parte 3: A grande final

Domingo, 27 de novembro: A final

Vai começar o grande dia!

Acompanhe-nos no caminho de Luis Carlos dos Santos até se tornar o grande campeão do Scania Drivers Competitions 2016.

O dia da grande final do Scania Driver Competitions 2016 começou com provas logo cedo, que definiram os oito motoristas que partiriam para as disputas finais em busca do caminhão.

Autos Giros apresenta: Tarcisio Dias

Enquanto os competidores decidiam os oito classificados para as quartas-de-final. o Autos Giros apresentava, ao vivo no Facebook, o seu colunista Tarcisio Dias, do Mecânica Online. A coluna Mecânica em Dias é atualizada todos os dias 10, 20 e 30 de cada mês.

Entre os brasileiros, o único eliminado antes das chaves finais foi o gaúcho e atual bicampeão do SDC Eliardo Locateli. Coincidentemente, os campeões argentino e peruano também foram eliminados nesta fase. Apenas o campeão chileno seguiria na competição.

Poucos dos competidores que iniciaram esta escalada ainda seguiam adiante.

Luis Carlos dos Santos seguia firme com sua simplicidade e humildade.

Mais do que um sonho, agora o caminhão era uma meta. E era a hora das quartas-de-final. Iam começar as disputas homem a homem.


Duelo de Reis

Dos 52 mil caminhoneiros que iniciaram o SDC 2016, agora restavam oito. Eles já tinham provado e comprovado suas capacidades técnicas e práticas sobre caminhões. Eram especialistas, eram especiais. Eram reis.

Confira as chaves:

Disputas das quartas-de-final


A Prova

A prova do Duelo de Reis consistia em duas áreas retangulares frente a frente, com um caminhoneiro em cada uma delas. Nas quatro pontas de cada espaço foram colocados um pino vermelho entre dois pinos azuis. O objetivo era, sem sair do caminhão e apenas com o para-choque ou as rodas, derrubar os pinos vermelhos sem derrubar os azuis.

Se errasse, o motorista tinha que descer, arrumar os pinos e tentar novamente. O primeiro que conseguisse derrubar os quatro corretamente, estaria classificado para as semifinais.


O Scania R 440


As semifinais

O Duelo de Reis peneirou mais um pouco, o funil continuava se fechando. Quem eram os quatro semifinalistas?

Dois chilenos fora, dois brasileiros dentro. Luis Carlos estava classificado e seguia seu caminho. As chaves ficaram assim:

Disputas das semifinais

Até aqui ainda havia a possibilidade de uma final 100% brasileira.


Super Z – Os confrontos

A semifinal e a final seriam disputadas na prova Super Z. Parecida com o desafio de reis, mas com um grau de dificuldade maior. Desta vez, os motoristas começariam a prova de ré (linha vermelha na figura abaixo), indo até o fundo do percurso, onde está o primeiro cone a ser derrubado. Na volta, de frente, mais três. Novamente, o primeiro que terminasse a prova estava era o vencedor.


A vaga na final estava garantida e Luis Carlos dos Santos estava agora a um passo do sonhado caminhão Scania R 440 zero quilômetro que poderia mudar sua história.

O caminhoneiro baiano conquistara a todos com sua simplicidade. Mesmo antes das disputas finais, a torcida brasileira, em silêncio, já torcia para que Luis Carlos chegasse à grande final.

Seguindo as disputas, o também brasileiro Rui Gobbi agora tinha a sua chance de chegar à final que, neste caso, seria 100% brasileira na primeira disputa latino-americana da história do Scania Driver Competitions.

Infelizmente (para nós), o argentino Hugo Armando Valdiviezo superou o catarinense Ruy Hermes Gobbi. Assim, não uma disputa caseira, mas a rivalidade Brasil e Argentina decidiria o grande campeão.

O “hermano” Hugo Valdiviezo seria o adversário de Luis Carlos dos Santos.


Disputa do terceiro lugar

O terceiro colocado foi o brasileiro Ruy Hermes Gobbi, de 49 anos e natural de São José (SC).


A grande final

Na grande final, o baiano Luis Carlos dos Santos enfrentou o argentino Hugo Armando Valdiviezo, de 35 anos. Curiosamente, os dois haviam ficado em terceiro lugar na fase nacional de seus países.

O brasileiro errou logo no começo e teve de manter a calma para vencer o argentino. Hugo, por sua vez, começou melhor mas também cometeu falhas, que permitiram a recuperação do brasileiro.

Luis Carlos dos Santos ganhou o caminhão Scania R 440 zero quilômetro. Palmeirense, aproveitou para comemorar o título brasileiro que seu time conquistara no mesmo dia.comemorou o título do seu clube do coração


O campeão

Luis Carlos dos Santos é o melhor motorista de caminhão da América Latina. Natural de Salvador, o profissional derrotou os outros 11 condutores classificados para a final latinoamericana do Scania Driver Competitions, e conquistou o tão desejado título.

“Agradeço a Scania e a todas as equipes que tornaram possíveis esta competição ser organizada pela primeira vez. Quero dar os parabéns pela valorização, reconhecimento e capacitação que a Scania dedica aos motoristas de caminhão. São presentes para a vida inteira”, afirma o campeão Luis Carlos dos Santos.

“Dedico esta vitória à minha família, a todos os caminhoneiros e de forma especial ao meu pai, que já foi motorista e me inspirou. Agora, ao ganhar o caminhão, começo uma nova vida”, finalizou o baiano.

O fim do Scania Driver Competitions marcou um momento importantíssima na vida do campeão. De um quase ex-caminhoneiro, ele agora tem a chance de melhorar de vida e continuar fazendo o que tanto ama.

Boa sorte, Luis Carlos dos Santos!


Acompanhe esta série em três partes:

Parte 1: O brasileiro Luis Carlos

Parte 2: O caminho até o topo


Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: