FCA é acusada de esconder software que altera emissões

FCA é acusada de esconder software que altera emissões. Foto: Divulgação

A FCA – Fiat Chrysler Automobiles foi notificada pela Agência de Proteção Ambiental norte-americana (Environmental Protection Agency EPA) nesta quinta-feira (12). O motivo é que o grupo não informou à entidade sobre a existência de um software que altera as emissões de óxidos de nitrogênio.

O sistema está presente nos motores 3.0 diesel dos modelos Jeep Grand Cherokee e picapes Ram 1500 dos anos de 2014, 2015 e 2016. As acusações da entidade ambiental norte-americana cobrem aproximadamente 104.000 veículos. Além da EPA, a California Air Resources Board (CARB) também emitiu um aviso de violação à FCA.

“A não informação sobre um software que afeta as emissões de um veículo é uma séria violação da lei.” disse Cynthia Giles, do EPA. “Nós continuamos investigando o funcionamento e o impacto destes sistemas em todas as marcas. Todos os fabricantes devem seguir as mesmas regras, e nós continuaremos impedindo que eles tenham ganhos de forma ilegal.”, completou.

A Lei do Ar Limpo

FCA é acusada de esconder software que altera emissões. Foto: Divulgação

O “Clean Air Act” (Lei de Ar Limpo) exige que os fabricantes comprovem que seus produtos atendem padrões federais de emissões. Isto se dá através de um processo de certificação junto à EPA. As montadoras são obrigadas a informar qualquer software que possa alterar a emissão de gases ou poluentes.

Software escondido

A FCA não divulgou a existência de certos dispositivos auxiliares de controle de emissões. A falha ocorreu em pedidos de certificados de conformidade para os modelos dos anos 2014, 2015 e 2016 citados. A comercialização de veículos com este software fez com que a FCA violasse disposições importantes da Lei do Ar Limpo.

Sanções à FCA

Como resultado, o grupo Fiat Chrysler Autommobiles – FCA pode receber sanções civis e medidas cautelares do governo norte-americano. Isto pode ser aplicado para todas as violações constantes na notificação da Agência Ambiental dos Estados Unidos.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: